domingo, 15 de novembro de 2009

Quando os objectos são outra coisa

Abrem-se as portas, deixam-nos sentar. O palco é logo ali, à distância de um passo, mas o que acontece em cena parece pertencer a um outro mundo. Corrijo, não pertence a um outro mundo, é apenas um jogo que nos alicia a jogar (também), e seguir o trilho de uma história. A partir do texto «A Fabulosa História de Peter Schlemihl» de Aldelbertvon Chamisso, Sofia Cabrita encena, no Chapitô, «História de quem perde a sombra».

Brincando com a própria construção de uma peça (de que se vai falar? qual o protagonista? qual o centro, qual a margem da peça?), encontramos três actores em palco desdobrando-se em diversas personagens. Eis um texto que não sendo linear poderia fazer alguns hesitar em levá-lo ao público infantil. Mas estive lá, e ri-me com as crianças que seguiram pelo labirinto de uma história em que os objectos e a imaginação transformam o lugar-comum. (Gostei desse pegar num objecto e descobrir-lhe toda uma nova panóplia de sentidos.) Em alguns momentos o corpo dança com esses objectos e cria quadros, intensidades dramáticas.

Nota para as ilustrações e design gráfico do programa da peça, da autoria de Gémeo Luís, a revelarem um pouco mais sobre o homem que vendeu a sombra em troca de uma bolsa de dinheiro...

Chapitô, Costa do Castelo
Até 13 de Dezembro, M 6 anos
Quintas e Sextas às 21h30 / Sábados e Domingos às 16h
Para mais informações acerca do espectáculo, clique aqui.
Pode aceder ao site de Gémeo Luís, aqui.

Ana Teresa Ferreira

Sem comentários: